Receba as postagens deste blog

7.9.11

QUANDO O CÂNCER CHEGOU EM MINHA CASA.

“Como um Pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece dos que o temem. Pois Ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó”. (Salmo 103:13-14)

Quando a enfermidade e a morte chegam em nossa casa, a situação fica bastante difícil! O nosso lado humano geme! Mas Deus nos compreende e está conosco durante a nossa dor, nos sustentando, nos dando o Seu alento! Minha família é testemunha disso, pois experimentamos a fidelidade de Deus para conosco, apesar de situação tão delicada! Deus tem usado várias pessoas para nos consolar,  para nos ajudar. Neste momento devemos ser humildes e reconhecer que precisamos muito dos outros e devemos aceitar toda ajuda que nos for oferecida, entendendo-as como inspiradas e conduzidas por Deus.

Quando tivemos a certeza de que a minha mãe estava com o diagnóstico de câncer eu não quis acreditar!

A minha mãe nasceu em Bom Jardim, interior do Estado do Rio de Janeiro,  e aprendeu a fumar ainda na infância. Foi tabagista durante 50 anos. Os médicos apontaram a causa do câncer no pulmão da minha mãe, aos anos de tabagismo.

Infelizmente, o cigarro ainda é vendido livremente em nosso país e durante a juventude da minha mãe o seu uso era até incentivado! Os artistas da TV e cinema,  eram os principais apologistas do cigarro e as propagandas da mídia levaram muitas pessoas a este vício, que pode causar diversas enfermidades e morte! Os tempos mudaram e, hoje, o investimento dos artistas, da mídia, das políticas públicas é na liberação de todas as formas de expressão e orientação sexual, em todas as faixas etárias, bem como no aborto, que vem sendo tratado como um direito humano! Esperamos que, sem demora, o povo brasileiro se posicione contra mais enganos e não esperemos maiores consequências desta imprudência, com reflexos danosos, especialmente, para as nossas crianças e adolescentes!

Embora as consequências do vício de fumar na vida da minha mãe tivessem sido danosas, entendemos que poderia ter sido pior se ela não tivesse aceitado a JESUS como seu Senhor e Salvador  e nem persistisse na caminhada com Cristo. Não foi fácil para ela deixar o cigarro!  Ela sofreu muito até abandonar o vício. Somente após infarto, seguido de uma cirurgia de três pontes de safena,  em 1999, foi que ela conseguiu deixar de fumar.

O ano de 1999,  foi muito difícil para a nossa família, pois não havíamos enfrentado um momento em que alguém tão próximo a nós fosse fazer uma cirurgia de tal porte. Pensávamos que ela fosse falecer naquela época, mas Deus não havia, ainda, cumprido todo o propósito dEle em sua vida! Após a cirurgia cardíaca, alguns cateterismos e angioplastia, o acompanhamento com um bom cardiologista fez com que a pressão arterial e o coração da minha mãe ficassem sob controle.

Nos últimos anos,  ela andou fazendo tratamento para alergia, porém o alergista não havia pedido para ela um raio X do tórax. Um dia, precisou retornar ao alergista e não o encontrou. Acabou se consultando com um pneumologista da clínica onde frequentava. Este pneumologista solicitou um raio X,  e através dele descobriu-se um nódulo no pulmão direito que a tomografia  identificou como sugestivo de tumor maligno. O médico indicou a investigação através da broncoscopia, mas como não chegaram ao diagnóstico,  a cirurgia do tórax foi necessária. Durante a cirurgia, os médicos constataram que se tratava do câncer que não pode ser retirado no ato da cirurgia por estar bastante enraizado.

Na época,  eu não esperava por esta notícia. Pensava que seria alguma outra enfermidade no pulmão,  não o câncer, pois enfrentar o câncer, novamente, em nossa família seria muito para nós!  A minha avó materna faleceu com esta enfermidade e fomos testemunhas do sofrimento de uma tia muito querida,  que também faleceu devido ao câncer no pulmão, como a minha mãe.

Então, pedi forças a Deus e, particularmente, tomei a decisão de acompanhar a minha mãe bem de perto, aproveitando a sua companhia nos últimos anos de vida e ajudá-la neste momento difícil! Entendi que esta seria a minha missão por um tempo,  pois na Palavra do Senhor  está escrito: “Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente.” (I Timóteo 5:8). Tomei a missão de cuidar da minha mãe, como a principal neste momento da história de minha vida. Mas foi e está sendo ainda um tempo de muito sofrimento para a nossa família!

Nos últimos meses de vida,  a minha mãe não conseguia andar e, no último mês,  também estava ficando desorientada. Em muitos momentos nos dizia que não estava em sua casa, em sua cama. A nossa afirmação de que ela estava em sua casa e em sua cama não a convencia, prontamente. Nos veio a Palavra do Senhor que nos afirma que a nossa verdadeira casa é a celestial, a que o Senhor preparou para nós. Então, eu dizia para a minha mãe que ela tinha razão. Que tudo o que temos aqui é emprestado: da cama à casa que moramos, pois a nossa verdadeira casa está no céu!  Ela concordava e se aquietava!

Também neste último mês de vida, ela já não conseguia virar de um lado para o outro na cama sem ajuda,  e necessitava de quem levasse o alimento a sua boca. A sua coordenação motora estava bastante comprometida e não tinha forças para levantar um talher! Quando foi para o hospital pela última vez,  não tinha mais veia fácil para os enfermeiros pegarem para injetar os medicamentos. O seu sofrimento foi grande, mas ela aguentou firme até o fim!

Minha mãe era uma mulher forte, guerreira, valente, meio carrancuda muitas vezes, mas muito engraçada também! A primeira impressão das pessoas a respeito da minha mãe era de pessoa séria, reservada,  mas bastavam conhece-la um pouco mais e se apaixonavam por ela! O seu coração era grande! Mesmo durante a sua enfermidade, ela nos fazia sorrir em muitos momentos! Ela gostava de viver, valorizava todos os parentes por quem orava constantemente. Ela amava o seu esposo, filhas e netos. A sua paixão eram os bisnetos! Agradeço a Deus por tê-la escolhido como a minha mãe. Era uma mulher admirável, que me ensinou muitas lições de vida, mesmo em seus últimos dias conosco!

Entendemos  que, para Deus,  a minha mãe já havia cumprido a sua missão na terra e chegou a hora de Jesus levar o nosso amorzinho, a nossa lindinha, a nossa fofinha, a nossa princesa, o nosso anjinho para junto dEle.  Independente da causa da morte, todos nós um dia partiremos, embora seja difícil para quem fica lidar com a dor da perda de um ente querido!

A cerimônia do enterro da minha mãe foi um momento especial, evangelístico, e Deus nos falou que teríamos frutos, mesmo na despedida do seu corpo! Muitos amigos e familiares estiveram presentes nos confortando e abençoando! Vários pastores e amigos que marcaram as nossas vidas nos ajudaram  a refletir sobre a Palavra do Senhor, como também nos ofereceram apoio,  conforto e compreensão. Por incrível que pareça, algumas pessoas disseram ter gostado muito de ter ido aquele enterro, por ter sido leve, diferente de outros que já haviam participado!

A minha mãe gostava muito de levar as vizinhas para a igreja. Ela era comunicativa, divertida, cativante, ativa, esforçada, amante da vida! Conhecer a JESUS como Senhor e Salvador mudou a sua vida para muito melhor e ela era agradecida a Deus por isso! Queria que as pessoas próximas a ela também melhorassem de vida caminhando com JESUS! Até no momento da despedida do corpo da minha mãe,   através da sua vida,  pessoas conheceram um pouco mais do amor do nosso Senhor JESUS e isto alegrou os nossos corações!

Continuemos firmes na fé, na missão que Deus tem para cada um de nós até que Ele nos leve para a nossa morada eterna com JESUS!

Agradeço a todos que estiveram participando conosco durante este período, especialmente os que proporcionaram momentos de conforto material e espiritual para a nossa família, como também os que alegraram o coração da minha amada mãe através das visitas, cuidados e orações nos seus últimos meses de vida. Deus lhes dará a recompensa!  

Agradeço a JESUS por ter atendido as minhas orações e ter conduzido a vida da minha mãe em seus caminhos.  Reconhecemos que o sofrimento dela poderia ter sido maior e fomos poupados. A ELE toda honra, glória e louvor!

SEMPRE CABE A LEMBRANÇA ACERCA DO QUE A PALAVRA DE DEUS NOS FALA SOBRE O NOSSO CORPO:

“E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.”  (Gênesis 2:7) "O PÓ volte à terra de onde veio, e o ESPÍRITO [fôlego de vida] volte a Deus, que o deu". (Eclesiastes 12:7)

A DESPEITO DE TODA A DOR QUE AINDA SENTIMOS, O NOSSO ÚNICO CONSOLO é o entendimento que temos acerca do lugar que a minha mãezinha querida se encontra: ela está com JESUS, com Deus, Àquele que deu o fôlego da vida para ela no dia 21 de fevereiro de 1938,  e Ele mesmo a tomou para si no dia 25 de agosto de 2011.

E que Deus nos abençoe a todos, rica e abundantemente, em nome de JESUS, até que Ele nos tome também em seus braços, conduzindo-nos a nossa morada eterna com ELE!

Leia também: QUEM NOS GARANTE QUE VAMOS PARA O CÉU APÓS A MORTE?
No amor de JESUS.
Rozangela Alves Justino

Nenhum comentário:

Postar um comentário