Receba as postagens deste blog

24.1.11

PIRAGINE É O NOVO PRESIDENTE DA CBB

LIDERANÇA



PIRAGINE É NOVO PRESIDENTE DA CBB


Pastor da Batista de Curitiba ficará por dois anos no cargo


Por: Celso de Carvalho - Redação Creio



O pastor da 1ª Igreja Batista de Curitiba (PR), Paschoal Piragine Junior, foi eleito na manhã desta segunda-feira, dia 24, em Niterói (RJ), presidente da Convenção Batista Brasileira (CBB).Ele derrotou pastor Vanderlei Batista Marins com pouco mais de 400 votos de diferença. È a segunda vez que Piragine chega à presidência, posição que ocupou em 2007.


Pastor Paschoal Piragine Júnior atua como pastor titular da Primeira Igreja Batista de Curitiba, onde está desde o dia 20 de agosto de 1988. Doutor em Ministérios pela Faculdade Teológica Sul Americana, de Londrina (PR), o pastor Paschoal Piragine Júnior é casado com a irmã Cleusa Piragine, e é pai do pastor Michel Ferreira Piragine.


Piragine ganhou notoriedade ao expressar voto contrário ao Partido dos Trabalhadores (PT) por defender o aborto e escreveu o livro Doenças da Família Moderna pela AD Santos.


Piragine é o entrevista do mês da revista IGREJA. Para assinar acesse www.indiqueigreja.com.br (11) 4081-1760


Leia mais:


:: PR. PIRAGINE DE VOLTA À MÍDIA
Batista, depois ser ameaçado pelo PT, lança livro sobre Família
>> Ler


:: YOU TUBE CENSURA PASTOR PIRAGINE


Autor do pedido é desconhecido. Pastor pedia voto contrário ao PT


Data: 24/1/2011 12:10:21





FONTE:
http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?noticia=12181

2 comentários:

  1. Anônimo4:27 PM

    Cara senhora:

    Vi a história da sua perseguição numa notícia, no Youtube (em http://www.youtube.com/watch?v=wEaS2_GGCww).

    Sei que é off topic, mas não queria deixar de lhe desejar coragem e perseverança, e dar-lhe todo o meu apoio. Independentemente do modo como se veja a questão da homossexualidade, o que está aqui em jogo é essencialmente o direito de uma pessoa fazer a sua vida, em liberdade, sem ser perseguida e ameaçada. Seja por uma organização privada com força coerciva para-legal, como é o caso do Conselho dos Psicólogos; seja por um qualquer "colectivo" fanatizado (e geralmente pago, bem pago), para provocar campanhas de intimidação e violência.

    No primeiro caso, temos a definição (literal, de manual) de um soviete; no segundo caso, temos as brigadas radicalizadas que caracterizam o funcionamento totalitário.

    Infelizmente, todo o mundo está a seguir por este tipo de caminho, e o indivíduo livre está em vias de extinção.

    Deixo-lhe aqui um dos comentários que deixei no vídeo em questão:
    «Uma ideia para a senhora Rozangela: porque não deixar de ser psicóloga, em título, e conduzir à mesma a sua prática? Não sei se é legalmente possível mas, se for, deixa de estar sob o controlo legal do Soviete dos Psicólogos (é isso que é, logo é assim que o trato).

    É claro que continua a ter grupos fanatizados (e pagos) de hooligans, a advogar violência ideológica. Mas aí é uma questão de exigir protecção policial e levar as organizações envolvidas a tribunal, por apelos à violência.»

    É a minha (tentativa de) contribuição para o seu caso. Espero que possa ser de alguma utilidade.

    Uma vez mais, deixo-lhe todo o meu apoio. Espero que a situação possa ser resolvida.

    Um grande abraço para si, Deus a abençoe e ao seu trabalho,

    Rui Garrido (em Portugal)

    ResponderExcluir
  2. Cara senhora:

    Vi a história da sua perseguição numa notícia, no Youtube (em http://www.youtube.com/watch?v=wEaS2_GGCww).

    Sei que é off topic, mas não queria deixar de lhe desejar coragem e perseverança, e dar-lhe todo o meu apoio. Independentemente do modo como se veja a questão da homossexualidade, o que está aqui em jogo é essencialmente o direito de uma pessoa fazer a sua vida, em liberdade, sem ser perseguida e ameaçada. Seja por uma organização privada com força coerciva para-legal, como é o caso do Conselho dos Psicólogos; seja por um qualquer "colectivo" fanatizado (e geralmente pago, bem pago), para provocar campanhas de intimidação e violência.

    No primeiro caso, temos a definição (literal, de manual) de um soviete; no segundo caso, temos as brigadas radicalizadas que caracterizam o funcionamento totalitário.

    Infelizmente, todo o mundo está a seguir por este tipo de caminho, e o indivíduo livre está em vias de extinção.

    Deixo-lhe aqui um dos comentários que deixei no vídeo em questão:
    «Uma ideia para a senhora Rozangela: porque não deixar de ser psicóloga, em título, e conduzir à mesma a sua prática? Não sei se é legalmente possível mas, se for, deixa de estar sob o controlo legal do Soviete dos Psicólogos (é isso que é, logo é assim que o trato).

    É claro que continua a ter grupos fanatizados (e pagos) de hooligans, a advogar violência ideológica. Mas aí é uma questão de exigir protecção policial e levar as organizações envolvidas a tribunal, por apelos à violência.»

    É a minha (tentativa de) contribuição para o seu caso. Espero que possa ser de alguma utilidade.

    Uma vez mais, deixo-lhe todo o meu apoio. Espero que a situação possa ser resolvida.

    Um grande abraço para si, Deus a abençoe e ao seu trabalho,

    Rui Garrido (Portugal)

    ResponderExcluir