Receba as postagens deste blog

29.8.13

NOS BASTIDORES DO CONGRESSO NACIONAL

“ ...quando o justo se desviar da sua justiça, e cometer a iniqüidade, e eu puser diante dele um tropeço, ele morrerá: porque tu não o avisaste, no seu pecado morrerá; e suas justiças, que tiver praticado, não serão lembradas, mas o seu sangue, da tua mão o requererei. Mas, avisando tu o justo, para que não peque, e ele não pecar, certamente viverá; porque foi avisado; e tu livraste a tua alma.” (Ezequiel 3:20-21)

Ontem tive um impasse com a Deputada Federal Benedita da Silva (PT-RJ) , após o culto na Câmara dos Deputados Federais. Às quartas-feiras ocorre o culto e os Deputados pregam uns para os outros, louvam a Deus... Mas, muitos, após o culto, esquecem do Deus vivo e abraçam outros Deuses, como é o caso da Deputada Benedita da Silva, que se diz evangélica, mas  o DEUS superior dela é o “deus PT”.

O Deputado João Campos, após o culto evangélico, pediu para os demais deputados presentes assinarem um requerimento de forma que o Congresso Nacional abrisse espaço para a CPI DO ABORTO, de forma a investigar as agências internacionais que trazem dinheiro para implantar o aborto no Brasil. Fui pegar a assinatura da Deputada Benedita e ela me disse que não assinaria o requerimento porque o partido dela não a autorizava. Ela disse que é uma “estratégia do seu partido”. Eu sabia que ela não assinaria, mas só fui confirmar. Pensei que ela, na frente de duas visitantes, jovens evangélicas, eleitoras do Rio de Janeiro, fosse assinar. Aproveitei para dizer para as eleitoras do Rio que a Deputada Benedita da Silva, assiste aos cultos evangélicos, ouve a pregação, mas na Câmara apóia as leis abortistas, homossexualistas e que visam a liberação sexual. Que recebe voto dos evangélicos, mas a sua conduta não é condizente com as expectativas dos evangélicos e que isto precisava ser do conhecimento do povo evangélico que vota nela.

A Deputada Benedita insistia em me dizer que ela tinha o direito de atuar de conformidade com o seu partido e que eu estava muito errada em  cobrá-la, pois isto era um julgamento da minha parte, não condizente com o pensamento evangélico. Eu passei a ser  a grande pecadora na história!  Ela ainda se justificou dizendo que era da Igreja Presbiteriana Betânia, da Igreja do Reverendo Josué Rodrigues, em Niterói-RJ. Eu conheço o Reverendo Josué, e creio que ele não apóia o homossexualismo e nem a liberação sexual, mas o pecado de alguns pastores é quererem ser mais bonzinhos que Deus, e não corrigem as suas ovelhas, principalmente, em se tratando de “autoridade do PT” , pois a igreja Betânia, infelizmente, tem  diversos membros petistas e liberais sexuais que não se arrependeram dos seus pecados.

Por sua vez, as moças visitantes eram aquelas evangélicas que se vestem com um tipo uniforme de cor única, mangas compridas e saia longa,  e eu ingenuamente, pensava que elas iriam ficar perplexas diante do comportamento da Deputada que apoiavam. Elas pareciam ter ido a Câmara procurar a Deputada Benedita da Silva para pedirem a sua ajuda. A Deputada Benedita disse que as conhecia  há muitos anos e verifiquei, posteriormente, através de outras pessoas que se encontravam no recinto,  que as moças eram membros da igreja do Pr Marcos, aquele que está na cadeia acusado de assédio sexual.

A situação não parou por aí, a Deputada Benedita foi se queixar com o Deputado João Campos, o que pediu para os colegas assinarem o requerimento para a CPI do aborto, dizendo que eu a estava desrespeitando e ela não admitia isso. Eu fui junto com ela ouvir a sua queixa e disse para ambos que eu era cidadã brasileira e que estava ali porque tinha também o direito de discordar dela e de sua postura contrária ao verdadeiro evangelho, e que ela enganava os seus eleitores. O Deputado João Campos, disse para a Deputada Benedita que ela tinha o direito de não assinar a CPI do aborto. Eu repeti que ela tinha este direito e eu, enquanto cidadã, também tinha o direito de discordar desta postura dela e saí da cena.

Fiquei pensando depois, no porquê da Deputada Benedita ter procurado o Deputado João Campos para se queixar e encontrei uma possível explicação. Deputado João Campos, é um homem polido,  preparado para estar no Congresso Nacional, um dos deputados mais atuantes na Câmara, inteligente e esforçado, por quem devemos orar muito, pois também já caiu na tentação de se dobrar ao “deus PSDB”, quando engavetou o PDC 234, que propunha sustar  itens da Resolução 01/99,  do CFP. Foi a segunda brecha que observei no Deputado João Campos. A primeira foi ter acusado o MADURO, quando ainda candidato a presidência na Venezuela de “homofóbico”, utilizando a mesma linguagem dos ativistas gays, formalizando a sua declaração num documento apresentado na Comissão de Direitos Humanos. Uma pena que este deputado que confiávamos esteja se perdendo, mas devemos orar por ele, pois penso que ainda há esperança para ele, mas,  sinceramente, não tenho esperança na mudança da Deputada Benedita da Silva, enquanto não for exortada pelos pastores que julgamos sérios, seus apoiadores, que não deveriam se aliar ao politicamente correto em se tratando de membros de igrejas, mas também caem nesta tentação!

Cabe a lembrança de que há alguns anos, quando o Deputado evangélico Henrique Afonso foi do PT,  a própria Deputada Benedita da Silva ajudou a condená-lo porque ele era contra as leis abortistas. Dep Henrique Afonso, com o voto da Deputada Benedita quase foi expulso do partido. Hoje, carecemos de partidos totalmente confiáveis, pois todos, parecem colocar os seus interesses acima dos do povo, mesmo os partidos dirigidos por evangélicos.

Também ainda não entendemos totalmente o que motivou o Deputado João Campos a desistir do PDC 234 contra a Resolução 01/99 do CFP, batizado de CURA GAY, para desqualificar o projeto. Também não entendemos o motivo pelo qual o Deputado Marcos Feliciano ter apoiado este feito. A impressão que fica é que houve um acordo entre eles e os seus respectivos partidos. Por sua vez, eu já desconfiava que o deputado Feliciano, que estava se saindo tão bem ao se defender das suas acusações, iria “roer a corda” em algum momento. Tentei algumas vezes conversar com ele em seu gabinete e os seus assessores blindavam a minha aproximação a sua pessoa. Uma delas, porque eu insisti em falar com ele dizendo que o aguardaria, me colocou para fora do gabinete, de forma muito agressiva, sem motivo aparente. Comportamento muito estranho para uma assessora de um deputado evangélico. Esta senhora, que não é evangélica, já encrencou com diversas outras pessoas dentro do congresso nacional, inclusive uma funcionária da Câmara que deixou o lesbianismo, também evangélica. Ela humilhou esta funcionária ao ponto de outros gabinetes terem se mobilizado para apoiar a tal funcionária. Estranho um deputado evangélico valorizar este tipo de assessora, que humilha o próximo e é tão agressiva, não evangélica, tão distante do que acreditamos ser valor para ele!

De qualquer forma, os deputados, parecem muito receptivos quando os encontramos nos corredores da Câmara, mas quando queremos conversar seriamente com eles e solicitarmos uma ação séria da parte deles,  que poderá comprometer a sua posição junto aos seus respectivos partidos e ao politicamente correto, as portas são fechadas.

Mas, não podemos generalizar e nem perder a esperança!  Temos poucos deputados evangélicos sérios no Congresso Nacional, mas eles existem e também tem as suas lutas com os seus pares que “estão pisando na bola”. É um desafio estar dentro do Congresso Nacional. Precisamos de mais missionários nesta seara, além de muitas orações do povo de DEUS!
Rozangela Alves Justino
Missionária Evangélica no Congresso Nacional
Presidente da ABRACEH-ASSOCIAÇÃO DE APOIO AO SER HUMANO E À FAMÍLIA
"Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel." (1a. Timóteo 5:8)
Facebook: rozangelajustino
Twitter: rozangelaj
Contribuições para o sustento missionário: Bradesco ag 3500 c/c 25615-3
"Digno é o obreiro do seu salário." (1a. Timóteo 5:18)


Nenhum comentário:

Postar um comentário