Receba as postagens deste blog

16.6.14

INCOERÊNCIA: Psiquiatras rejeitam a teoria do ‘nascido gay’, mas se opõem à terapia reparativa



 

Declaração: 27 de maio de 2014                                              Para divulgação imediata


Psiquiatras rejeitam a teoria do ‘nascido gay’, mas se opõem à terapia reparativa

De acordo com recente declaração do Royal College of Psychiatrists (Universidade Real de Psiquiatria)[1], homossexuais não ‘nascem gay’.  Hoje eles aceitam o que antes negavam: que as causas são “uma combinação de fatores biológicos e ambientais”. Este é um importante reconhecimento. Isso denota que uma criança crescerá heterossexual se não passar por determinadas experiências de vida.

O Royal College também mudou seu ponto de vista sobre a possibilidade de mudança de orientação. “Não se trata de a orientação sexual ser imutável ou não poder variar em certo ponto da vida de alguém”. Eles também aceitam que bissexuais têm “um grau de escolha”. Se tal mudança é possível, falta o College explicar por que isso não pode ser abordado em contextos terapêuticos.

 Esta importante declaração resulta das severas críticas do Core Issues Trust (A verdade sobre assuntos importantes)[2] e do Christian Medical Fellowship (União Médico-Cristã)[3] expostas no Pilling Report to the Church of England (2013) [Relatório de Pilling para a Igreja da Inglaterra][4].

Mesmo assim, o College ainda apoia os atuais esforços legislativos frente ao Parlamento para proibir a terapia para pessoas que querem ajuda para reduzir os desejos pelo mesmo sexo. Eles alegam que a terapia não funciona, embora o relatório da Associação Americana de Psicologia em que se baseiam diga que: “não se tem muitas evidencias confiáveis que possam esclarecer se a terapia é eficaz ou não”[5]. Eles dizem que a terapia pode ser prejudicial - possibilidade que se aplica a qualquer modalidade terapêutica. E ignoram os direitos de clientes que não querem ser afirmados em sua atração pelo mesmo sexo.

Core Issues Trust (A verdade sobre assuntos importantes) continuará a questionar outros aspectos da declaração do Royal College juntamente com o apoio que dão à  ‘Conversion Therapy Consensus Statement’ [Declaração de consenso sobre a terapia reparativa] do Conselho de Psicoterapia do Reino Unido[6]. As questões levantadas pela declaração serão analisadas em uma conferência no dia 13 de junho de 2014 promovida pela Core Issues Trust[7] no Emmanuel Conference Centre, Marsham Street, Westminster.

Para maiores informações:
Dr Mike Davidson
Director: CORE ISSUES TRUST                                                                   07833098998


[1] http://www.rcpsych.ac.uk/pdf/PS02_2014.pdf
[2] O’Callaghan D, May P. Beyond Critique, Core Issues Trust. 2013
[3] May P. When Ideology Replaces Science, Triple Helix April 2014, CMF.
[4] Pilling J, Report to the House of Bishops, Working Group on Human Sexuality, November 2013, para 203, 207- 218.
[5] American Psychological Association (2009). Report of the American Psychological Association Task Force on Appropriate Therapeutic Responses to Sexual Orientation, p28.
[6] http://www.ukcp.org.uk/UKCP_Documents/policy/Conversion%20therapy.pdf
[7] http://www.debunkingthemyths.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário