Receba as postagens deste blog

4.12.12

Há relação entre paranoia e homossexualidade, diz Freud; leia trecho de coleção



Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/livrariadafolha/ult10082u714274.shtml
30/03/2010 - 19h16

Há relação entre paranoia e homossexualidade, diz Freud; leia trecho de coleção

da Livraria da Folha
Divulgação
Volume 12 da coleção Sigmund Freud, lançada pela Companhia das Letras
Volume 12 da coleção Sigmund Freud, da Companhia das Letras
Divulgação
"Folha Explica Freud" foi escrito por Luiz Tenorio Oliveira Lima
Biblioteca básica de psicanálise traz o livro "Folha Explica Freud" (2001)
Entre os volumes da "Obras Completas de Sigmund Freud", que formam uma estante colorida com livros de capa dura e obras de referência, está o 12, intitulado"Introdução ao Narcisismo, Ensaios de Metapsicologia e Outros Textos (1914-1916)".
Livraria da Folha selecionou um pequeno trecho com palavras de Freud sobre a relação entre paranoia e homossexualidade. O tema até poderia ser relacionado ao ruído sobre homofobia no "Big Brother Brasil" ou à saída do armário do ex-Menudo.
Neste caso, a relevância é o lançamento para a estante de psicanálise: os novos volumes de Sigmund Freud, também considerado um dos grandes prosadores da língua alemã.
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Leia o trecho.
*
Afirmava-se, na literatura psicanalítica, que o paranoico luta contra uma intensificação de suas tendências homossexuais, algo que remete, no fundo, a uma escolha narcísica de objeto. Sustentava-se também que o perseguidor, no fundo, é alguém que o indivíduo ama ou amou. Da junção dessas duas teses resulta que o perseguidor tem de ser do mesmo sexo que o perseguido. É certo que não vimos como universalmente válida e sem exceções a proposição de que a homossexualidade condiciona a paranóia, mas isso apenas porque nossas observações não eram suficientemente numerosas. Por outro lado, ela era uma dessas proposições que, devido a certas considerações, são significativas apenas quando podem reivindicar universalidade. Na literatura psiquiátrica não faltavam, sem dúvida, casos em que o doente se acreditava perseguido por parentes do outro sexo, mas ler esses casos não produzia a mesma impressão que ter um deles diante de si. O que eu e meus amigos pudéramos observar e analisar havia facilmente confirmado a relação da paranoia com a homossexualidade. E esse caso parecia dupunha resolutamente contra isso. A garota parecia rejeitar o amor a um homem, transformando o amado diretamente em perseguidor; não havia traço de influência de uma mulher, de revolta contra um vínculo homossexual.
*
Divulgação
Observações Psicanalíticas Sobre um Caso de Paranoia Relatado em Autobiografia
Observações Sobre um Caso de Paranoia Relatado em Autobiografia
Divulgação
História de uma Neurose Infantil ("O Homem dos Lobos") e outros textos
História de uma Neurose Infantil ("O Homem dos Lobos") e outros textos
No mês de março a Companhia das Letras deu início à publicação das"Obras Completas de Sigmund Freud". A edição é a primeira, no Brasil, traduzida diretamente do alemão e organizada na ordem cronológica em que apareceram originalmente os textos. As "Obras Completas de Sigmund Freud"serão reunidas em 20 volumes, sendo 19 de textos e um de índices e bibliografia.
Os três primeiros lançamentos - volumes 10, 12 e 14 -, com tradução e coordenação editorial de Paulo César de Souza, abrangem os textos escritos entre 1911 e 1920, um período intermediário e de pleno desenvolvimento das concepções de Freud.
No segundo semestre de 2010 serão lançados mais dois, os volumes 16 e 18, contendo obras publicadas entre 1923-25 e 1930-36, respectivamente. A coleção prosseguirá com um ou dois volumes publicados por ano, a partir de 2011.
Estas "Obras Completas de Sigmund Freud" não incluem os textos de neurologia, ou seja, não psicanalíticos, anteriores à criação da psicanálise. Afinal, o próprio autor decidiu deixá-los de fora quando foi feita a primeira edição alemã completa de suas obras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário