Receba as postagens deste blog

11.12.11

VOTAÇÃO DO PLC 122/2006, no dia 8 de dezembro de 2011, em Brasília, DF

O atual PLC 122/2006, apelidado de "A LEI DA MORDAÇA GAY" foi aprovado na calada da noite de uma quinta-feira, na Câmara dos Deputados Federais, uma manobra dos deputados gaysistas, desrespeitando um acordo entre os parlamentares de não votarem projetos polêmicos, quando a maioria já está retornando ao seus respectivos Estados. O projeto foi para o Senado Federal onde recebeu outro número, e já passou pela Comissão de Assuntos Sociais. Agora,  está na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, e entrou na pauta da votação no dia 8 de dezembro de 2011, juntamente com o Projeto de Lei abortista, o PLC 50/2011.
  
Foto dos Senadores reunidos para a votação dos projetos de leis em pauta, no dia 8 de dezembro de 2011:
A ABRACEH-ASSOCIAÇÃO DE APOIO AO SER HUMANO E À FAMÍLIA, entregou no gabinete dos 81 Senadores, como também no gabinete de 602 Deputados Federais,  uma carta mostrando o quanto Projetos de Leis homossexualistas e abortistas afrontam ao DEUS VIVO, além de não respeitar as famílias brasileiras cristãs, em sua maioria. Também pontuou o fato de o PLC 122/2006, ferir de morte a Constituição da República Federativa do Brasil. Também estavam no Senado Federal conversando com os Senadores sobre os projetos de leis abortistas,  os católicos provida família de SP: Pe Berard e Luis.
Cristãos católicos e evangélicos vem se unindo no Congresso Nacional e fora dele, em defesa da vida e da família constituída segundo os princípios cristãos. A Senadora Marta Suplicy leu uma mensagem da CNBB mostrando que os jornais publicaram que a CNBB fez acordo com os gaysistas, mas não foi bem assim.
No final do dia anterior à votação do PLC 122/2006, um dos assessores do Senado Federal nos informou que já havia recebido naquele dia, mais de 1.200 e-mails de pessoas que não queriam a aprovação do PLC 122/2006, e que isto impressionava os Senadores, mostrando a vontade e a força do povo brasileiro. Tal assessor disse ainda que, a carta da ABRACEH, seria mostrada ao seu Senador, juntamente com os e-mails. Ao entregar a carta da ABRACEH, de gabinete em gabinete, pedíamos a benção do nosso Senhor Jesus Cristo para todos!
No próprio dia da votação, distribuímos entre os presentes, a mensagem da ABRACEH. Abaixo, o senador Gim Argello, PTB/DF lendo-a durante a audiência no Senado Federal, no dia 8 de dezembro de 2011.
A Senadora Marta Suplicy, relatora do PLC 122 de 2006, iniciou o seu pronunciamento pedindo para o PLC 122/2006 não ser votado. Mas, ainda assim, os Senadores discursaram sobre ele, para contemplar a presença dos seus eleitores. No final do expediente, a Senadora Marta Suplicy confessou ter retirado tal Projeto de Lei da pauta de votação porque ele não seria aprovado.
Esta foi uma vitória para o povo cristão brasileiro! Quanto ao Projeto abortista, dois Senadores pediram vistas e a votação foi adiada.
Vejam a foto do pastor Wilton Acosta, amordaçado. Ao seu lado, encontra-se o ativista homossexualista Toni Reis, que está se enriquecendo com a militância gaysista no Brasil. Toni conversava com a psicóloga Marisa Lobo, que vem sendo perseguida pelos militantes gays, na internet.

A missionária Rozangela Justino e o Pr e capelão Washington Luiz, também estavam amordaçados durante a votação do PLC 122/2006. Ambos estão respondendo a processos junto ao CRP-Conselho Regional de Psicologia por não poderem se pronunciar contra a ditadura gaysista do CFP-Conselho Federal de Psicologia. A mordaça começou com os psicólogos brasileiros e a lei da mordaça do CFP continua em vigor. Quem irá derrubá-la? Chama-se Resolução 01/99.

A psicóloga Marisa Lobo, reconhecida pelos ativistas gays no auditório, foi intimidada pessoalmente. Diversos deles disseram ter desencadeado processos contra ela, uma forma conhecida deles reagirem para também amordaçá-la, mas ela os tem enfrentado. Mais uma psicóloga guerreira, graças a Deus!
Evangélicos apelaram para os Senhores Senadores dizerem "NÃO" à PLC 122 de 2006 declarando que "As famílias brasileiras confiam em Vossas Excelências". Confira através das fotos:
A missionária Rozangela Justino concorda com a solicitação:
O auditório estava lotado de crentes em JESUS, e não havia mais lugar para as pessoas se sentarem. Eram poucos ativistas gays, mas fizeram barulho! Veja a foto do "Triângulo Rosa":

Os ativistas gays descontrolaram-se em vários momentos acusando os cristãos de os provocarem. Pareciam querer ser provocados para acusarem os cristãos de homofóbicos.
Este comportamento ficou mais evidente após o discurso da Senadora gaysista Marinor Brito – PSOL/PA que se sentiu  desrespeitada por um cristão e ameaçou expulsá-lo do recinto. Os ativistas gaysistas aproveitaram para incitar a Senadora a chamar a polícia.

Em vários momentos o auditório era chamado a atenção pelo presidente da Comissão devido a inquietação de ambos os militantes. Confira através do filme:
video
Senador Sergio Petecão PMN/AC, declarou professar a religião católica, mas  elogiou os evangélicos dizendo que em uma cidade do seu Estado, quando as igrejas evangélicas se instalaram, os índices de violência caíram de forma significativa. Nesta hora, uma mulher se levantou dizendo que seu filho foi assassinado por crime de homofobia, parecendo querer associar os evangélicos a práticas agressivas.  A psicóloga Marisa Lobo, prontamente, disse que  o seu filho não foi assassinado por cristão.

Este comportamento dos ativistas gays, bem conhecido, deixou claro para todos que eles são capazes de simular ações para acusar os cristãos de homofóbicos. Na verdade, os agressivos são os ativistas do movimento pró-homossexualista.
Certamente, não concordamos com assassinatos de pessoas que sentem atração pelo mesmo sexo e os seus familiares precisam de apoio. Mas, não confiamos no movimento gaysista que pode usar todas as artimanhas para a impor a sua mordaça ao povo cristão brasileiro.
Filmamos parte do pronunciamento do Senador católico Sergio Petecão que testemunhou em prol dos evangélicos, mas não conseguimos postá-lo. Eis a foto do nobre Senador:
Encerrada as atividades, os ativistas gays perderam totalmente o controle e começaram a provocar os cristãos, que responderam à provocação cantando um hino conhecido “Glória, Glória, Aleluia, Vencendo Vem JESUS” . Também deram o grito de guerra declarando “QUE JESUS É NOSSO REI”, mas os ativistas começaram a dizer que “Jesus era gay”. Foi um prato cheio para a imprensa, que fotografou e filmou o manifesto de ambas as partes. Vamos ver como serão apresentadas as manchetes na mídia. Vejam algumas fotos:

Nenhum comentário:

Postar um comentário